OPERADORA DE SAÚDE OU PACIENTE PARTICULAR? EIS O DILEMA

  • segunda-feira, 24 de abril de 2023
  • Publicado por CONDUX
  • Finanças
OPERADORA DE SAÚDE OU PACIENTE PARTICULAR? EIS O DILEMA

No atual cenário da situação da saúde no Brasil, muitos médicos têm a dúvida sobre o que é melhor: operadora de saúde ou paciente particular?

Neste artigo vamos explicar as vantagens e as desvantagens de cada um. Será que compensa receber apenas uma parcela do valor da consulta com convênio, se existe a possibilidade de cobrar o valor integral com atendimento particular?

Existem pontos positivos e negativos da perspectiva do profissional de saúde. Para saber mais detalhes, continue lendo as informações a seguir.
Qual a diferença entre convênio e particular?

Quando alguém contrata um convênio de saúde, paga-se uma parcela mensal que varia de acordo com a faixa etária e a região do país.

Dessa forma, todos os médicos que têm parceria com o convênio estarão listados, assim como hospitais, clínicas e laboratórios credenciados.

Em alguns casos, pode haver cobertura total pelo atendimento. Em outros, o profissional recebe uma porcentagem pelo atendimento.

Já no caso do atendimento particular, o médico não depende de uma operadora e atende por conta própria.
O médico pode dar preferência para consulta particular?

Um dilema que existe é o seguinte. Imagine que haja duas pessoas buscando um mesmo atendimento, uma com plano de saúde e outra para consulta particular.

Nesse caso, para o profissional será mais vantajoso atender o paciente sem convênio, pois ele receberá o valor integral da consulta.

Porém, o profissional de saúde pode escolher quem vai atender por operadora de saúde ou paciente particular? Quais são os critérios?

De acordo com a lei 9656/98, que existe para normatizar os planos e seguros de saúde, as pessoas prestadoras de serviço na área devem dar privilégio ao agendamento, levando em conta a atual situação do paciente.

Isso significa que pacientes com necessidade de atendimentos de emergência têm prioridade, independentemente de ser por convênio ou particular.

O mesmo vale para idosos com mais de 65 anos, gestantes, lactantes e crianças de até cinco anos.
Vantagens e desvantagens de operadora de saúde
Vantagens

Entre as vantagens de o médico optar por uma operadora de saúde, a mais relevante é aumentar a cartela de clientes e fidelizá-los.

Como muitos pacientes utilizam convênios, o profissional pode aproveitar uma boa fatia do mercado para ficar sempre com a agenda cheia e ter uma previsão de faturamento a cada mês.

Afinal, segundo estimativa da ANS, publicada no Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), no Brasil existem mais de 50 milhões de beneficiários de planos de saúde.
Desvantagens

A desvantagem de o profissional permitir convênio é o valor menor que receberá pelas consultas.

Logo, ele terá que trabalhar mais e atender mais pacientes para cobrir o que cobra normalmente em um atendimento particular.

Outro ponto negativo para o profissional é a necessidade de lidar com aspectos burocráticos relacionados à operadora de saúde, além da demora no repasse dos valores dos serviços prestados e ainda ter muitas vezes que lidar com glosas, que podem retardar em muito os pagamento ou até mesmo negar em definitivo algum desses.
Vantagens e desvantagens de atender paciente particular
Vantagens

Entre as vantagens de atender o paciente particular, para o médico a mais evidente é que ele receberá o valor integral da consulta.

Ou seja, seu valor por hora aumenta e, por conseguinte, poderá trabalhar menos para ganhar o mesmo valor e ter mais qualidade de vida.

Outra questão é que a consulta particular exige do profissional de saúde menos trâmites burocráticos, pois ele não precisará se preocupar em comprovar à operadora cada atendimento, já que ele receberá o valor logo após a consulta.

Além disso, ele terá mais horários disponíveis na agenda, porque costuma ser menor o número de pessoas que buscam por atendimento particular, visto que mais de 70% dos brasileiros utilizam o atendimento público de saúde.
Desvantagens

A desvantagem de atender apenas por consultas particulares é que pode haver oscilações de faturamento.

Por exemplo, pode haver queda de procura de pacientes em determinado mês em relação a outros meses.

Como a clientela é menor para os profissionais que atendem apenas por consulta particular, se houver uma procura reduzida em certo mês, isso vai afetar os rendimentos.

Além disso, existe a questão da concorrência no mercado. Existem muitos médicos já reconhecidos que atendem por convênio.

Então, se um profissional atende apenas consultas particulares, poderá perder pacientes para outros médicos.
Tempo de carreira do profissional

Pelo que vimos até aqui, quando refletimos sobre operadora de saúde ou paciente particular, não há como dizer que um necessariamente é melhor que outro. Em geral, os médicos combinam as duas opções.

Porém, para profissionais no início de carreira, que ainda não são conhecidos no mercado, atender por plano de saúde pode ser uma boa alternativa para conquistar pacientes.

Por outro lado, no caso dos que já atuam há mais tempo na profissão e possuem diferenciais competitivos, com mais especializações, por exemplo, podem ter mais liberdade para escolher atender apenas consultas particulares.  
Situação das operadoras de plano de saúde no Brasil

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), referentes ao 3º trimestre de 2022, houve um prejuízo das operadoras de R$ 5,5 bilhões em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Esse prejuízo acontece mesmo com o aumento do número de beneficiários. Entre os motivos, estão o maior uso dos serviços desde o início da pandemia e o diagnóstico tardio de doenças.

Por isso, existe a expectativa de mudanças de normas e regulamentos relacionados às operadoras, por exemplo em relação aos planos ambulatoriais, entre outros.

Em dezembro de 2022, a 2ª Seção do STJ estabeleceu que não há necessidade de os planos cobrirem procedimentos relativos à relação de exames, terapias e cirurgias aprovada pela ANS, com algumas exceções.

Em maio de 2022, a ANS já havia dado o aval para reajuste de 15,5% dos planos de saúde individuais e familiares, aumento este que foi o maior já realizado desde 2000, atingindo 16,3% dos beneficiários.

A medida também atinge os médicos, pois há pacientes que tendem a abandonar tratamentos nessa situação.

Inclusive, entidades em defesa dos profissionais de saúde enviaram ao Congresso Nacional posicionamento sobre a necessidade de garantir autonomia aos médicos, os honorários dos profissionais e o reajuste de fato da remuneração dos prestadores de serviços de saúde por convênios.

Gostou deste conteúdo?

Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber todas as novidades do setor!